Inicio | Voltar
Antigo Testamento

Provérbios

14:29 O longânimo é grande em entendimento, mas o que é de espírito impaciente mostra a sua loucura.
14:30 O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos.
14:31 O que oprime o pobre insulta àquele que o criou, mas o que se compadece do necessitado o honra.
14:32 Pela sua própria malícia é lançado fora o perverso, mas o justo até na morte se mantém confiante.
14:33 No coração do prudente a sabedoria permanece, mas o que está no interior dos tolos se faz conhecido.
14:34 A justiça exalta os povos, mas o pecado é a vergonha das nações.
14:35 O rei se alegra no servo prudente, mas sobre o que o envergonha cairá o seu furor.
15:1 A RESPOSTA branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.
15:2 A língua dos sábios adorna a sabedoria, mas a boca dos tolos derrama a estultícia.
15:3 Os olhos do SENHOR estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons.
15:4 A língua benigna é árvore de vida, mas a perversidade nela deprime o espírito.
15:5 O tolo despreza a instrução de seu pai, mas o que observa a repreensão se haverá prudentemente.
15:6 Na casa do justo há um grande tesouro, mas nos ganhos do ímpio há perturbação.
15:7 Os lábios dos sábios derramam o conhecimento, mas o coração dos tolos não faz assim.
15:8 O sacrifício dos ímpios é abominável ao SENHOR, mas a oração dos retos é o seu contentamento.
15:9 O caminho do ímpio é abominável ao SENHOR, mas ao que segue a justiça ele ama.
15:10 Correção severa há para o que deixa a vereda, e o que odeia a repreensão morrerá.
15:11 O inferno e a perdição estão perante o SENHOR; quanto mais os corações dos filhos dos homens?
15:12 O escarnecedor não ama aquele que o repreende, nem se chegará aos sábios.
15:13 O coração alegre aformoseia o rosto, mas pela dor do coração o espírito se abate.
15:14 O coração entendido buscará o conhecimento, mas a boca dos tolos se apascentará de estultícia.
15:15 Todos os dias do oprimido são maus, mas o coração alegre é um banquete contínuo.
15:16 Melhor é o pouco com o temor do SENHOR, do que um grande tesouro onde há inquietação.
15:17 Melhor é a comida de hortaliça, onde há amor, do que o boi cevado, e com ele o ódio.
15:18 O homem iracundo suscita contendas, mas o longânimo apaziguará a luta.
15:19 O caminho do preguiçoso é cercado de espinhos, mas a vereda dos retos é bem aplanada.
15:20 O filho sábio alegra seu pai, mas o homem insensato despreza a sua mãe.
15:21 A estultícia é alegria para o que carece de entendimento, mas o homem entendido anda retamente.
15:22 Quando não há conselhos os planos se dispersam, mas havendo muitos conselheiros eles se firmam.
15:23 O homem se alegra em responder bem, e quão boa é a palavra dita a seu tempo!
15:24 Para o entendido, o caminho da vida leva para cima, para que se desvie do inferno em baixo.
15:25 O SENHOR desarraiga a casa dos soberbos, mas estabelece o termo da viúva.
15:26 Abomináveis são para o SENHOR os pensamentos do mau, mas as palavras dos puros são aprazíveis.
15:27 O que agir com avareza perturba a sua casa, mas o que odeia presentes viverá.
15:28 O coração do justo medita no que há de responder, mas a boca dos ímpios jorra coisas más.
15:29 O SENHOR está longe dos ímpios, mas a oração dos justos escutará.
15:30 A luz dos olhos alegra o coração, a boa notícia fortalece os ossos.
15:31 Os ouvidos que atendem à repreensão da vida farão a sua morada no meio dos sábios.
15:32 O que rejeita a instrução menospreza a própria alma, mas o que escuta a repreensão adquire entendimento.
15:33 O temor do SENHOR é a instrução da sabedoria, e precedendo a honra vai a humildade.
16:1 DO homem são as preparações do coração, mas do SENHOR a resposta da língua.
16:2 Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o SENHOR pesa o espírito.
16:3 Confia ao SENHOR as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos.
16:4 O SENHOR fez todas as coisas para atender aos seus próprios desígnios, até o ímpio para o dia do mal.
16:5 Abominação é ao SENHOR todo o altivo de coração; não ficará impune mesmo de mãos postas.
16:6 Pela misericórdia e verdade a iniqüidade é perdoada, e pelo temor do SENHOR os homens se desviam do pecado.
16:7 Sendo os caminhos do homem agradáveis ao SENHOR, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele.
16:8 Melhor é o pouco com justiça, do que a abundância de bens com injustiça.
16:9 O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos.
16:10 Nos lábios do rei se acha a sentença divina; a sua boca não transgride quando julga.
16:11 O peso e a balança justos são do SENHOR; obra sua são os pesos da bolsa.
16:12 Abominação é aos reis praticarem impiedade, porque com justiça é que se estabelece o trono.
16:13 Os lábios de justiça são o contentamento dos reis; eles amarão o que fala coisas retas.
16:14 O furor do rei é mensageiro da morte, mas o homem sábio o apaziguará.
16:15 No semblante iluminado do rei está a vida, e a sua benevolência é como a nuvem da chuva serôdia.
16:16 Quão melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! e quão mais excelente é adquirir a prudência do que a prata!
16:17 Os retos fazem o seu caminho desviar-se do mal; o que guarda o seu caminho preserva a sua alma.
16:18 A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda.
16:19 Melhor é ser humilde de espírito com os mansos, do que repartir o despojo com os soberbos.
16:20 O que atenta prudentemente para o assunto achará o bem, e o que confia no SENHOR será bem-aventurado.
16:21 O sábio de coração será chamado prudente, e a doçura dos lábios aumentará o ensino.
16:22 O entendimento para aqueles que o possuem, é uma fonte de vida, mas a instrução dos tolos é a sua estultícia.
16:23 O coração do sábio instrui a sua boca, e aumenta o ensino dos seus lábios.
16:24 As palavras suaves são favos de mel, doces para a alma, e saúde para os ossos.
16:25 Há um caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte.
16:26 O trabalhador trabalha para si mesmo, porque a sua boca o incita.
16:27 O homem ímpio cava o mal, e nos seus lábios há como que uma fogueira.
16:28 O homem perverso instiga a contenda, e o intrigante separa os maiores amigos.
16:29 O homem violento coage o seu próximo, e o faz deslizar por caminhos nada bons.
16:30 O que fecha os olhos para imaginar coisas ruins, ao cerrar os lábios pratica o mal.
16:31 Coroa de honra são as cãs, quando elas estão no caminho da justiça.
16:32 Melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso, e o que controla o seu ânimo do que aquele que toma uma cidade.
16:33 A sorte se lança no regaço, mas do SENHOR procede toda a determinação.
17:1 É MELHOR um bocado seco, e com ele a tranqüilidade, do que a casa cheia de iguarias e com desavença.
17:2 O servo prudente dominará sobre o filho que faz envergonhar; e repartirá a herança entre os irmãos.
17:3 O crisol é para a prata, e o forno para o ouro; mas o SENHOR é quem prova os corações.
17:4 O ímpio atenta para o lábio iníquo, o mentiroso inclina os ouvidos à língua maligna.
17:5 O que escarnece do pobre insulta ao seu Criador, o que se alegra da calamidade não ficará impune.
17:6 A coroa dos velhos são os filhos dos filhos; e a glória dos filhos são seus pais.
17:7 Não convém ao tolo a fala excelente; quanto menos ao príncipe, o lábio mentiroso.
17:8 O presente é, aos olhos dos que o recebem, como pedra preciosa; para onde quer que se volte servirá de proveito.
17:9 Aquele que encobre a transgressão busca a amizade, mas o que revolve o assunto separa os maiores amigos.
17:10 A repreensão penetra mais profundamente no prudente do que cem açoites no tolo.
17:11 Na verdade o rebelde não busca senão o mal; afinal, um mensageiro cruel será enviado contra ele.
17:12 Encontre-se o homem com a ursa roubada dos filhos, mas não com o louco na sua estultícia.
17:13 Quanto àquele que paga o bem com o mal, não se apartará o mal da sua casa.
17:14 Como o soltar das águas é o início da contenda, assim, antes que sejas envolvido afasta-te da questão.
17:15 O que justifica o ímpio, e o que condena o justo, tanto um como o outro são abomináveis ao SENHOR.
17:16 De que serviria o preço na mão do tolo para comprar sabedoria, visto que não tem entendimento?
17:17 Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão.
17:18 O homem falto de entendimento compromete-se, ficando por fiador na presença do seu amigo.
17:19 O que ama a transgressão ama a contenda; o que exalta a sua porta busca a ruína.
17:20 O perverso de coração jamais achará o bem; e o que tem a língua dobre vem a cair no mal.
17:21 O que gera um tolo para a sua tristeza o faz; e o pai do insensato não tem alegria.
17:22 O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos.
17:23 O ímpio toma presentes em secreto para perverter as veredas da justiça.
17:24 No rosto do entendido se vê a sabedoria, mas os olhos do tolo vagam pelas extremidades da terra.
17:25 O filho insensato é tristeza para seu pai, e amargura para aquela que o deu à luz.
17:26 Também não é bom punir o justo, nem tampouco ferir aos príncipes por eqüidade.
17:27 O que possui o conhecimento guarda as suas palavras, e o homem de entendimento é de precioso espírito.
17:28 Até o tolo, quando se cala, é reputado por sábio; e o que cerra os seus lábios é tido por entendido.
18:1 BUSCA satisfazer seu próprio desejo aquele que se isola; ele se insurge contra toda sabedoria.
18:2 O tolo não tem prazer na sabedoria, mas só em que se manifeste aquilo que agrada o seu coração.
18:3 Vindo o ímpio, vem também o desprezo, e com a ignomínia a vergonha.
18:4 Águas profundas são as palavras da boca do homem, e ribeiro transbordante é a fonte da sabedoria.
18:5 Não é bom favorecer o ímpio, e com isso, fazer o justo perder a questão.
18:6 Os lábios do tolo entram na contenda, e a sua boca brada por açoites.
18:7 A boca do tolo é a sua própria destruição, e os seus lábios um laço para a sua alma.
18:8 As palavras do mexeriqueiro são como doces bocados; elas descem ao íntimo do ventre.
18:9 O que é negligente na sua obra é também irmão do desperdiçador.
18:10 Torre forte é o nome do SENHOR; a ela correrá o justo, e estará em alto refúgio.
18:11 Os bens do rico são a sua cidade forte, e como uma muralha na sua imaginação.
18:12 O coração do homem se exalta antes de ser abatido e diante da honra vai a humildade.
18:13 O que responde antes de ouvir comete estultícia que é para vergonha sua.
18:14 O espírito do homem susterá a sua enfermidade, mas ao espírito abatido, quem o suportará?
18:15 O coração do entendido adquire o conhecimento, e o ouvido dos sábios busca a sabedoria.
18:16 Com presentes o homem alarga o seu caminho e o eleva diante dos grandes.
18:17 O que pleiteia por algo, a princípio parece justo, porém vem o seu próximo e o examina.
18:18 A sorte faz cessar os pleitos, e faz separação entre os poderosos.
18:19 O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio.
18:20 Do fruto da boca de cada um se fartará o seu ventre; dos renovos dos seus lábios ficará satisfeito.
18:21 A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.
18:22 Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do SENHOR.
18:23 O pobre fala com rogos, mas o rico responde com dureza.
18:24 O homem de muitos amigos deve mostrar-se amigável, mas há um amigo mais chegado do que um irmão.
19:1 MELHOR é o pobre que anda na sua integridade do que o perverso de lábios e tolo.
19:2 Assim como não é bom ficar a alma sem conhecimento, peca aquele que se apressa com seus pés.
19:3 A estultícia do homem perverterá o seu caminho, e o seu coração se irará contra o SENHOR.
19:4 As riquezas granjeiam muitos amigos, mas ao pobre, o seu próprio amigo o deixa.
19:5 A falsa testemunha não ficará impune e o que respira mentiras não escapará.
19:6 Muitos se deixam acomodar pelos favores do príncipe, e cada um é amigo daquele que dá presentes.
19:7 Todos os irmãos do pobre o odeiam; quanto mais se afastarão dele os seus amigos! Corre após eles com palavras, que não servem de nada.
19:8 O que adquire entendimento ama a sua alma; o que cultiva a inteligência achará o bem.
19:9 A falsa testemunha não ficará impune; e o que profere mentiras perecerá.
19:10 Ao tolo não é certo gozar de deleites; quanto menos ao servo dominar sobre os príncipes!
19:11 A prudência do homem faz reter a sua ira, e é glória sua o passar por cima da transgressão.
19:12 Como o rugido do leão jovem é a indignação do rei, mas como o orvalho sobre a relva é a sua benevolência.
19:13 O filho insensato é uma desgraça para o pai, e um gotejar contínuo as contendas da mulher.
19:14 A casa e os bens são herança dos pais; porém do SENHOR vem a esposa prudente.
19:15 A preguiça faz cair em profundo sono, e a alma indolente padecerá fome.
19:16 O que guardar o mandamento guardará a sua alma; porém o que desprezar os seus caminhos morrerá.
19:17 Ao SENHOR empresta o que se compadece do pobre, ele lhe pagará o seu benefício.
19:18 Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não deixes que o teu ânimo se exalte até o matar.
19:19 O homem de grande indignação deve sofrer o dano; porque se tu o livrares ainda terás de tornar a fazê-lo.
19:20 Ouve o conselho, e recebe a correção, para que no fim sejas sábio.
19:21 Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do SENHOR permanecerá.
19:22 O que o homem mais deseja é o que lhe faz bem; porém é melhor ser pobre do que mentiroso.
19:23 O temor do SENHOR encaminha para a vida; aquele que o tem ficará satisfeito, e não o visitará mal nenhum.
19:24 O preguiçoso esconde a sua mão ao seio; e não tem disposição nem de torná-la à sua boca.
19:25 Açoita o escarnecedor, e o simples tomará aviso; repreende ao entendido, e aprenderá conhecimento.
19:26 O que aflige o seu pai, ou manda embora sua mãe, é filho que traz vergonha e desonra.
19:27 Filho meu, ouvindo a instrução, cessa de te desviares das palavras do conhecimento.
19:28 O ímpio escarnece do juízo, e a boca dos perversos devora a iniqüidade.
19:29 Preparados estão os juízos para os escarnecedores, e os açoites para as costas dos tolos.
20:1 O VINHO é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio.
20:2 Como o rugido do leão é o terror do rei; o que o provoca à ira peca contra a sua própria alma.
20:3 Honroso é para o homem desviar-se de questões, mas todo tolo é intrometido.
20:4 O preguiçoso não lavrará por causa do inverno, pelo que mendigará na sega, mas nada receberá.
20:5 Como as águas profundas é o conselho no coração do homem; mas o homem de inteligência o trará para fora.
20:6 A multidão dos homens apregoa a sua própria bondade, porém o homem fidedigno quem o achará?
20:7 O justo anda na sua sinceridade; bem-aventurados serão os seus filhos depois dele.
20:8 Assentando-se o rei no trono do juízo, com os seus olhos dissipa todo o mal.
20:9 Quem poderá dizer: Purifiquei o meu coração, limpo estou de meu pecado?
20:10 Dois pesos diferentes e duas espécies de medida são abominação ao SENHOR, tanto um como outro.
20:11 Até a criança se dará a conhecer pelas suas ações, se a sua obra é pura e reta.
20:12 O ouvido que ouve, e o olho que vê, o SENHOR os fez a ambos.
20:13 Não ames o sono, para que não empobreças; abre os teus olhos, e te fartarás de pão.
20:14 Nada vale, nada vale, dirá o comprador, mas, indo-se, então se gabará.
20:15 Há ouro e abundância de rubis, mas os lábios do conhecimento são jóia preciosa.
20:16 Ficando alguém por fiador de um estranho, tome-se-lhe a roupa; e por penhor àquele que se obriga pela mulher estranha.
20:17 Suave é ao homem o pão da mentira, mas depois a sua boca se encherá de cascalho.
20:18 Cada pensamento se confirma com conselho e com bons conselhos se faz a guerra.
20:19 O que anda tagarelando revela o segredo; não te intrometas com o que lisonjeia com os seus lábios.
20:20 O que amaldiçoa seu pai ou sua mãe, apagar-se-á a sua lâmpada em negras trevas.
20:21 A herança que no princípio é adquirida às pressas, no fim não será abençoada.
20:22 Não digas: Vingar-me-ei do mal; espera pelo SENHOR, e ele te livrará.
20:23 Pesos diferentes são abomináveis ao SENHOR, e balança enganosa não é boa.
20:24 Os passos do homem são dirigidos pelo SENHOR; como, pois, entenderá o homem o seu caminho?
20:25 Laço é para o homem apropriar-se do que é santo, e só refletir depois de feitos os votos.
20:26 O rei sábio dispersa os ímpios e faz passar sobre eles a roda.
20:27 O espírito do homem é a lâmpada do SENHOR, que esquadrinha todo o interior até o mais íntimo do ventre.
20:28 Benignidade e verdade guardam ao rei, e com benignidade sustém ele o seu trono.
20:29 A glória do jovem é a sua força; e a beleza dos velhos são as cãs.
20:30 Os vergões das feridas são a purificação dos maus, como também as pancadas que penetram até o mais íntimo do ventre.
21:1 COMO ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o seu querer.
21:2 Todo caminho do homem é reto aos seus olhos, mas o SENHOR sonda os corações.
21:3 Fazer justiça e juízo é mais aceitável ao SENHOR do que sacrifício.
21:4 Os olhos altivos, o coração orgulhoso e a lavoura dos ímpios é pecado.
21:5 Os pensamentos do diligente tendem só para a abundância, porém os de todo apressado, tão-somente para a pobreza.
21:6 Trabalhar com língua falsa para ajuntar tesouros é vaidade que conduz aqueles que buscam a morte.
21:7 As rapinas dos ímpios os destruirão, porquanto se recusam a fazer justiça.
21:8 O caminho do homem é todo perverso e estranho, porém a obra do homem puro é reta.
21:9 É melhor morar num canto de telhado do que ter como companheira em casa ampla uma mulher briguenta.
21:10 A alma do ímpio deseja o mal; o seu próximo não agrada aos seus olhos.
21:11 Quando o escarnecedor é castigado, o simples torna-se sábio; e o sábio quando é instruído recebe o conhecimento.
21:12 O justo considera com prudência a casa do ímpio; mas Deus destrói os ímpios por causa dos seus males.
21:13 O que tapa o seu ouvido ao clamor do pobre, ele mesmo também clamará e não será ouvido.
21:14 O presente dado em segredo aplaca a ira, e a dádiva no regaço põe fim à maior indignação.
21:15 O fazer justiça é alegria para o justo, mas destruição para os que praticam a iniqüidade.
21:16 O homem que anda desviado do caminho do entendimento, na congregação dos mortos repousará.
  << anterior   1 2 3 4 5

Versão "João Ferreira de Almeida Atualizada"